Agora que o Office 2007 foi lançado oficialmente, uma novidade para os desenvolvedores deixou muita gente surpresa.

Se você pretende criar interfaces para seus aplicativos parecidas com a do Office 2007, ou seja, utilizando a famosa “Ribbon”, você vai precisar de uma licença da Microsoft. Isso mesmo, uma licença. Felizmente essa licença não tem custo nenhum. Pelo que parece, bastará assinar um acordo com a Microsoft, mais nada.

Qualquer tipo de aplicativo pode licenciar e utilizar a nova interface, desde que não sejam aplicativos que concorram com o MS Office.

A MS diz que o motivo da licença é proteger a propriedade intelectual deles e todo o investimento de pesquisa e desenvolvimento realizado pela equipe do Office na concepção da nova IDE. A licença descreve por exemplo, o que você pode e o que você não pode fazer com a interface. Por um lado isso é legal, pois todos os aplicativos que usarem a interface licenciada, vão seguir um padrão consistente, por outro, é uma malice ficar licenciando a interface.

Acredito que a maioria dos pequenos desenvolvedores não deve assinar a licença, muitos talves nem fiquem sabendo que a licença é necessária. E duvido também que a MS venha atrás dessa galera.

Enfim, para quem quer desenvolver aplicativos com a nova interface, licenciar, e ficar tudo certinho como deve ser, a melhor alternativa é utilizar componentes de empresas licenciadas pela MS. No meu caso, uso da DevExpress, que é uma das primeiras empresas licenciadas e que já fornece o componente para VCL e para WinForms. Não esqueça porém que mesmo usando os componentes de uma empresa licenciada, você também precisa obter a licença junto a MS. A vantagem de se usar os componentes de uma empresa licenciada, é que você sabe que o componente está dentro do padrão esperado pela MS, então você não terá problemas em cumprir as exigências da licença.