As vezes esqueço que muita gente não está acompanhando de perto a tal “venda do Delphi” e simplesmente deixo de comentar aqui as novidades. Para quem não sabe muito bem o que está acontecendo, vou escrever um pequeno resumo e descrever a situação atual.

A Borland anunciou alguns meses atrás que estaria vendendo as ferramentas de desenvolvimento (Delphi e JBuilder) e o Interbase. Internamente, esses produtos já são mantidos por uma divisão específica, conhecida como DTG ou Developers Tools Group. E na verdade o que vai acontecer é que esse grupo vai ser separado da Borland e vai caminhar como uma empresa independente.

Há muito tempo o Delphi vinha sendo deixado de lado devido a mudança de foco da Borland, que deixou de ser realmente o desenvolvedor. A proposta desta nova empresa é manter o foco exclusivo no desenvolvedor, ou seja, em nós. Essa empresa vem sendo chamada de DevCo (Developers Company), pois o nome oficial ainda não foi definido.

Isso é bom? Eu acho isso ótimo. Como tenho acompanhado um pouco de perto tudo o que vem acontecendo, sei que todos os feras que trabalhavam no Delphi irão para a nova empresa, além disso, estão trazendo de volta muitas pessoas que saíram da Borland e contratando novos talentos também. Apesar da separação com a Borland ainda não ter acontecido, eles já estão operando praticamente como uma empresa independente.

Como fica o Kylix? Ninguém disse nada oficialmente ainda, então não posso afimar nada. Quem sabe ele não volta? E o JBuilder? O JBuilder eu sei que tem uma nova versão no forno, codinome Peloton, que é baseado no Eclipse e tem um recurso fantástico que é o P2P Programming, estou louco pra ver isso no Delphi.

Segundo a própria Borland, o comprador desta divisão da empresa deve ser anunciado nas próximas semanas, mas eu duvido muito que seja alguma empresa conhecida. Acredito que vai ser algum investidor ou algo do tipo. Esperam que a separação esteja completa até o final de setembro.

Com tudo isso acontecendo, só posso acreditar que os desenvolvedores Delphi estarão muito seguros continuando fiéis a ferramenta. O Delphi não vai acabar, como alguns pensam. Não só não vai acabar, como chego a pensar que ele pode voltar a liderar as inovações na área. Lógico que não podemos sonhar que o Delphi será mais popular que o Visual Studio por exemplo, isso seria algo tão difícil como o Linux suplantar o Windows no desktop. Mas isso não quer dizer que o Delphi não possa ser muito melhor que o VS, afinal, em Win32 o Delphi sempre foi e ainda é o que há de melhor.

Portanto fiquem tranquilos. Se você é desenvolvedor Delphi, não se desespere, continue nele numa boa. Eu por exemplo, continuo fazendo tudo em Delphi, inclusive novos projetos, pois o tempo que precisaria investir em novas plataformas, acaba não se pagando. Acredito que vem muita coisa boa por aí.