Este post estréia a nova categoria “Linux” que criei para o blog. Não tenho muita certeza se estas categorias servem para alguma coisa, mas já que elas estão aí, vamos usar, né? Hahah..

Em dezembro passado instalei um servidor Linux bem legal em um cliente. Pentium 4, 3 GHz, 1 GB RAM, HD 120GB SATA, montado num gabinete para rack. Instalei [Fedora Core 3][1] nele, Firebird e Samba, mais nada, nem interface gráfica. Ficou um canhão, servindo pouco mais de 20 estações, já era de se esperar, né? A performance ficou muito melhor do que quando testo meus aplicativos rodando Firebird localmente. Mês passado instalei outro idêntico em outro cliente.

Um comando que uso com frequência é o “top”, para consultar o uso de memória, processador, etc. Hoje fui dar uma olhada e percebi que ambos os servidores estavam com muito pouca memória livre, porém todos os processos somados não estavam ocupando quase nada de memória. Veja o resultado do comando em um deles:

`

<font size=-2>
top - 22:07:39 up 103 days, 12:19,  1 user,  load average: 0.00, 0.01, 0.00
Tasks:  76 total,   1 running,  75 sleeping,   0 stopped,   0 zombie
Cpu(s):  5.0% us,  0.2% sy,  0.0% ni, 94.7% id,  0.0% wa,  0.0% hi,  0.2% si
Mem:   1033208k total,   902928k used,   130280k free,    98156k buffers
Swap:  2031608k total,      160k used,  2031448k free,   584604k cached

  PID USER      PR  NI  VIRT  RES  SHR S %CPU %MEM    TIME+  COMMAND
15655 root      16   0  106m  42m 5616 S  0.3  4.2  46:20.71 fbserver
    1 root      16   0  1956  512 1408 S  0.0  0.0   0:01.50 init
    2 root      RT   0     0    0    0 S  0.0  0.0   0:00.65 migration/0
    3 root      34  19     0    0    0 S  0.0  0.0   0:00.09 ksoftirqd/0
    4 root      RT   0     0    0    0 S  0.0  0.0   0:00.53 migration/1
    5 root      34  19     0    0    0 S  0.0  0.0   0:00.10 ksoftirqd/1
    6 root       5 -10     0    0    0 S  0.0  0.0   0:00.00 events/0
    7 root       5 -10     0    0    0 S  0.0  0.0   0:00.00 events/1
    8 root       5 -10     0    0    0 S  0.0  0.0   0:00.00 khelper
    9 root      15 -10     0    0    0 S  0.0  0.0   0:00.00 kacpid
   28 root       5 -10     0    0    0 S  0.0  0.0   0:00.00 kblockd/0
   29 root       5 -10     0    0    0 S  0.0  0.0   0:00.00 kblockd/1
   39 root      15   0     0    0    0 S  0.0  0.0   0:01.19 pdflush
   40 root      15   0     0    0    0 S  0.0  0.0   0:11.37 pdflush
   42 root      13 -10     0    0    0 S  0.0  0.0   0:00.00 aio/0
   43 root       9 -10     0    0    0 S  0.0  0.0   0:00.00 aio/1
   30 root      15   0     0    0    0 S  0.0  0.0   0:00.00 khubd
</font>

` Claro, agora não existe nenhum usuário na empresa, então o servidor está praticamente parado, mas repare que o servidor está usando quase 900MB de memória, e menos de 130MB estão livres. Quando vi isso pela primeira vez, fiquei assustado. 5 minutos de pesquisa na Internet me aliviaram. Descobri que o que importa é o uso de swap, que neste caso foi usado apenas 160K, ou seja, praticamente nada. Isso quer dizer que a memória fisica está atendendo bem a necessidade. Mesmo em horários de pico de uso, o swap não foi usado, pois fiquei monitorando isso. Descobri também que o Linux não se importa em liberar memória que já não está mais em uso, ele já toma posse da memória e vai usando conforme precisa. Dai o motivo pelo qual existe pouca memória física livre. [1]: http://www.fedora.redhat.com/